Ataques de negação de serviço

Dezenas são presos em operação contra ataques de negação de serviço

No total, 34 pessoas foram presas em 13 países, incluindo EUA e Reino Unido. Jovem da Califórnia pode pegar até 10 anos de prisão.

Autoridades prenderam na última semana 34 suspeitos de 13 países, incluindo EUA e Reino Unido, como parte de uma operação contra ataques de negação de serviço (DDoS).

As prisões miraram os compradores de serviços de DDoS disponíveis para contratação, que são pagos para inundar sites ou sistemas conectados com tráfego, forçando-os a ficarem offline. 

Além das 34 prisões, as agências de inteligência questionaram e alertaram outras 101 pessoas. Muitos dos suspeitos tinham menos de 20 anos, segundo comunicado da agência Europol, da União Europeia.

A maioria dos contratantes de serviços de DDoS usa os ataques para fazer pegadinhas e brincadeiras, geralmente em games online. Por exemplo, um grande fluxo de tráfego pode ser enviado para o endereço de IP de um gamer rival, derrubando sua conexão com a web.

Mas os ataques de negação de serviço também podem ser usado com objetivos maliciosos. Por exemplo, os hackers já os usaram para tirar negócios do ar como parte de golpes de extorsão.

Em casos mais extremos, ataques de DDoS massivos podem ser usados para tentar a derrubar a Internet em todo um país, como aconteceu recentemente em um “bombardeio” contra o provedor de serviço DNS chamado Dyn em outubro, que acabou deixando lento o acesso a muitos sites conhecidos nos EUA.

Não ajuda também o fato de que esses serviços de DDoS disponíveis para contratação fizeram com que esses ataques pudessem ser facilmente lançados por amadores. A empresa de segurança Imperva estima a porcentagem de ataques DDoS baseados nesses serviços cresceu 93%.

Como parte da operação, o FBI prendeu um jovem de 26 anos da Califórnia chamado Sean Sharma, que teria contratado serviços de DDoS. Ele foi acusado de realizar um ataque de negação de serviço contra um serviço de chat de San Francisco cujo nome não foi revelado. Caso seja condenado, Sharma pode pegar até 10 anos de prisão, segundo o FBI.

Não está claro quantos serviços que oferecem ataques DDoS foram fechados pela operação. Mas a investigação envolveu autoridades na França, Espanha, outros países europeus e na Austrália.

Fonte: IDGNOW

Visualizações: 100333