Laptop / Notebook

Um notebook ou simplesmente laptop ? um pequeno computador portátil que pode ter o peso de aproximadamente 3Kg, dependendo de seu tamanho, material que foi fabricado e outros fatores.

A expressão laptop deriva da aglutinação dos termos em inglês lap (colo) e top (em cima) significando computador portátil, em contrapartida aos desktop (em cima da mesa).

Embora os termos laptop e notebook tratem do mesmo aparelho, o termo laptop é o mais antigo deles, sendo apresentado pela primeira vez em 1983 no Gavilan SC, um dos primeiros computadores portáteis. Notebook é o termo mais conhecido e recente.
 
Este termo foi empregado pela primeira vez nos computadores NEC UltraLite e Compaq LTE em 1989 a fim de diferenciar esses computadores dos demais laptops no mercado, já que eram muito menores e muito mais leves que seus antecessores.
 
O tamanho da maioria dos notebooks, fechado é de uma folha de papel A4. Alguns computadores portáteis como o Macintosh Portable e alguns modelos Zenith TurbosPort eram descritos como laptops, embora seu tamanho e peso fossem muito grandes para essa categoria.
 
Os laptops funcionam com uma única bateria ou com um adaptador externo AC/DC, que pode carregar a bateria enquanto o utiliza. Como computadores pessoais, os laptops são capazes de realizar as mesmas tarefas que um PC comum (desktop), apesar deles serem geralmente menos poderosos e custarem o equivalente ou mais que um desktop.
 
Um notebook contém componentes similares a um desktop e realiza as mesmas funções, porém em tamanhos reduzidos e otimizados para o uso móvel.
 
Possuem tela de cristal líquido e a maioria deles utiliza diferentes módulos de memória para seu acesso de memória randômica (RAM), por exemplo, ao invés das grandes memórias DIMM, utiliza a SO-DIMM (bem menor, comparado ao DIMM comum).
 
Juntamente ao teclado integrado, possuem um trackpad ou touchpad (ponto de acesso por toque) que pode substituir o uso do mouse. Porém se o usuário desejar, pode optar por usar um mouse.
 
Curiosamente, embora a história dos computadores portáteis seja coisa do passado recente, não há consenso sobre qual teria sido o primeiro modelo. Mas sites especializados como About e How Stuff Works apontam o Grid Compass, projetado em 1979 por William Moggridge para a Grid Systems Corporation como um possível pioneiro.
 
Consta que o Grid Compass foi concebido para ser usado pela NASA nas primeiras expedições espaciais. Faz sentido: seu gabinete, de liga de magnésio, era extremamente resistente.
 
O modelo original tinha 256 KB de memória tipo bubble memory (um tipo de memória magnética onde cada bit era gravado agnetizando em um determinado sentido uma superfície recoberta com uma fina camada magnética; a magnetização era feita por um campo circular, o que fazia com que o ponto magnetizado se assemelhasse a uma bolha, de onde derivou o nome) que, sendo não volátil, funcionava de forma semelhante a dos discos rígidos atuais.
 
A tela era plana, de plasma. O formato se assemelhava vagamente ao dos computadores portáteis modernos. Mas como não usava bateria e só funcionava ligado a uma tomada de energia, discute-se se ele poderia ser considerado um micro verdadeiramente portátil.
 
O primeiro computador que usava bateria, embora opcional, foi o Osborne 1, comercializado em 1981 pela Osborne Computer, de Adam Osborne. Apesar do peso relativamente grande (cerca de 11 kg, enorme para os padrões atuais) seu fator de forma não deixa dúvidas que ele foi concebido para ser transportado.
 
Sua pequena tela (cinco polegadas, do tipo CRT) exibia apenas 24 linhas de 52 caracteres cada. Apesar disso, foi o primeiro computador a trazer software integrado: vinha com o editor de textos WordStar, a planilha SuperCalc, o banco de dados DBase II e uma modalidade de BASIC, a linguagem de programação mais popular da época. Seu processador era um Zilog Z80 de oito bits.
 
Houve outras tentativas de fabricar computadores portáteis, mas nenhum deles se assemelhava aos modernos notebooks. Como o Epson HX-20 de 1981 com dois processadores 6301 fabricados pela própria Epson, alimentado a bateria e usando uma minúscula tela de cristal líquido com 4 linhas de 20 caracteres cada. Seu dispositivo de armazenamento era um gravador cassete externo (possuia um driver de disquetes opcional).
 
O TRS-80 Model 100 foi fabricado em 1983 pela Radio Shack, com apenas 4 KB de memória (mas que poderia ser expandida at? 24 KB!!!), tela de cristal líquido com 8 linhas de 40 caracteres, alimentado a bateria, com um drive de disquetes de 3,5 polegadas e também equipado com um Zilog Z80.
 

Compaq SLT/286

O primeiro computador portátil com um aspecto semelhante ao dos exemplares mais recentes foi o Compaq SLT/286 lançado em 1988. Era um verdadeiro computador de 16 bits, já que vinha equipado com o processador Intel 80286, operando em 12 MHz e alimentado a bateria.

Trazia 640 KB de memória RAM, um drive de disquetes de 3,5 polegadas e foi o primeiro entre os portáteis a dispor de um disco rígido, de 20 ou 40 MB conforme o modelo. E trazia uma tela VGA de 640 x 480 pixels. Seria um forte candidato ao posto de primeiro portátil moderno não fora por seu peso excessivo: seis quilos e meio, uma barbaridade para se carregar por muito tempo.

O NEC Ultralite foi lançado em 1989 e se encaixava realmente no conceito moderno do que vem a ser um computador portátil. Alimentado a bateria recarregável, pesava menos de 2 kg. Seu fator de forma era exatamente o mesmo dos notebooks modernos, apenas o tamanho era ligeiramente superior (30 cm x 21 cm x 3,6 cm).

 Mesmo assim, ha modelos modernos de alto desempenho maiores do que ele. Vinha equipado com uma CPU NEC V30 (equivalente a um Intel 8086), 640 KB de memória RAM e uma tela de cristal líquido de 9,5 polegadas com 640 x 200 pixels em modo gráfico.

Não tinha disco rígido, mas trazia uma memória não volátil de 2 MB que prestava a mesma função. E, evidentemente, um drive para disco flexível de 3,5 polegadas como opcional. E, inaugurando a fase de comunicações nos micros portáteis, trazia um modem interno. De 2.400 bps, na verdade, mas não esqueçamos que nos anos 80 essa era taxa perfeitamente aceitável.

Não se sabe se o NEC Ultralite foi ou não o primeiro computador a ser considerado laptop. Mas sabe-se que foi o primeiro a fazer sucesso. Um sucesso de vendas tão estrondoso que praticamente todo fabricante de computadores adotou o mesmo fator de forma (que perdura até hoje) e passou a produzir modelos equivalentes.

Desde então os progressos foram extraordinários. Hoje, os micros portáteis modernos ou são muitíssimos menores e mais leves que o NEC Ultralite (o que cunhou o nome notebook, por serem mais ou menos do tamanho de uma agenda de mão) ou extraordinariamente mais poderosos. Isso sem falar nas telas coloridas de altíssima resolução e na capacidade de comunicação sem fio que praticamente todo modelo atual traz integrada. Mas que o NEC Ultralite foi o precursor de uma nova era, isso não há como negar.

Steve Kleynhans, vice-presidente de computalção do Gartner, diz que os PCs móveis seguirão as duas principais tendências atuais: modelos ultraportáteis inferiores a 1,8 quilo e notebooks para substituição de desktops com telas de 15 a 17 polegadas, com peso entre 3,5 a 4,5 quilos, grande parte deles feita para ser usada conectada a tomada.

A quarta geração de notebooks Centrino, da Intel, agendada para o início de 2007, inclui muitos gigabytes da rápida memória Nand flash, que promete inicializar e carregar programas velozmente.

Com sua tecnologia SideShow, o Vista permitirá que os fabricantes de laptop incluam um display na parte exterior do notebook, a exemplo de alguns modelos de celulares.

Assim, não será preciso abrir o computador para verificar se aquele e-mail importante chegou. E a tecnologia Preface, da PortalPlayers, aguardada para o primeiro semestre de 2007, trabalhará junto com o SideShow para oferecer uma tela/PDA destacável, que poderá ser usada como uma espécie de prancheta, independente mente do notebook.

Vamos aguardar o que o futuro nos reserva!

 

Fonte: CpdDigital

 

Visualizações: 1001409