Por que impressoras 3D podem ser …

Por que impressoras 3D podem ser o próximo alvo de hackers

Companhias têm adotado tecnologia na indústria automobilística e aeroespacial. Invasões à manufatura poderiam trazer consequências fatais

Impressoras 3D podem fabricar brinquedos, roupas e até mesmo comida. Mas a tecnologia também mostra potencial para sabotagem industrial, alertam pesquisadores.

Imagine uma montadora de carros usando impressoras 3D para fabricar componentes, para depois descobrir que tais peças apresentam defeitos cruciais.

Um hacker com acesso a impressoras 3D poderia, facilmente, fazer isso, explicou uma equipe de pesquisadores em um artigo recente. Isso poderia resultar em um impacto devastador para usuários e levar a recalls e processos, ressalta um professor da Universidade de Nova York, Nikhil Gupta, e um dos autores do artigo.

A impressão 3D é também conhecida como uma manufatura aditiva. Ela envolve impressão camada por camada de um material para criar um objeto, como uma figura plástica e até mesmo uma casa. 

A indústria automobilística já tem experimentado a tecnologia há um tempo. No ano passado, companhias usaram impressoras 3D para criar, principalmente, protótipos, mas avanços recentes prometem expandir a tecnologia para produzir uma variedade de produtos, prevê a consultoria Gartner. 

Se isso acontecer, companhias devem estar atentas para possíveis ataques. Muitos das impressoras 3D são conectadas à Internet, permitindo controle remoto, algo que pode colocá-las na mira de hackers. Cibercriminosos podem secretamente introduzir defeitos internos no processo de produção.  

Por exemplo, produtos podem ser alterados para durarem menos ou ainda apresentar efeitos tão pequenos que nem um scanner poderia detectá-los. 

Isso poderia ser uma ameaça gravíssima e fatal, caso os componentes impressos sejam aplicados em carros ou aviões. A indústria aeroespacial tem usado impressoras 3D para substituir certas peças, observou Steven Zeltmann, um dos autores do artigo. 

Vale ressaltar que o potencial para sabotagem pode aumentar, caso fabricantes terceirizem sua produção para outras companhias. 

E os riscos de segurança de impressoras conectadas vão além da produção em si. Dado ao fato que impressoras 3D confiam em arquivos de design, uma vulnerabilidade poderia comprometer a propriedade intelectual de uma companhia

Para prevenir os riscos de segurança, Zeltmann recomenda que fabricantes desconectem suas impressoras da Internet e criptografem seus arquivos. 

Fonte: IDGNOW

Visualizações: 100327