Baterias (Energia)

Níquel-Cádmio (NiCd) é uma tecnologia de construção de baterias recarregáveis bastante popular usada em vários equipamentos eletrônicos, tais como notebooks, telefones celulares, telefones sem fio, entre outros.

Ela também é muito conhecida pelo seu famoso “efeito memória”, que faz com que este tipo de bateria perca sua carga mais rapidamente na medida em que o tempo passa. Vamos conhecer detalhes sobre o funcionamento das baterias NiCd, o que é e porque o “efeito memória” acontece e ainda como evitá-lo.

Como o próprio nome já diz, as baterias NiCd são feitas de dois elementos químicos: o Níquel, sobre a forma de Hidróxido Niquélico, e o Cádmio. Um terceiro elemento é usado como eletrólito, geralmente uma solução de Hidróxido de Potássio.

O Cádmio é o grande vilão. Primeiro porque ele é o elemento por trás do “efeito memória”, e segundo porque é um metal pesado e muito tóxico.

Mas afinal, o que é este “efeito memória”?

O “efeito memória” é quando a bateria “acha” que está completamente carregada quando na verdade não está. Estando 70% carregada, “acha” que está 100%. Dessa forma, quando a colocamos para carregar ela não será recarregada, já que ela “acha” que está completamente carregada. Ao usar seu equipamento eletrônico, sua autonomia será menor, pois está com apenas 70% da carga. Por isso assumimos que baterias NiCd antigas duram menos do que as novas.

Porque o Efeito Memória acontece e como evitá-lo ?

O efeito memória acontece devido à formação de cristais de cádmio dentro da bateria. Esse cristal é difícil de dissolver e é um dos responsáveis pelo “efeito memória”. O macete para evitar o “efeito memória” seria prevenir a formação desses cristais dentro da bateria.

A melhor maneira seria justamente recarregar a bateria apenas quando ela estiver totalmente descarregada.No entanto, isso traz outro problema: as baterias de NiCd não podem ser completamente descarregadas ou elas são danificadas. A descarga completa geralmente significa ter tensões abaixo de 1 V por pilha (as baterias de NiCd são geralmente formadas pelo agrupamento de várias pilhas de 1,2 V; baterias de NiCd típicas são de 3,6 V usando três pilhas de 1,2 V). O macete que é recomendado por várias pessoas para resolver o efeito memória seria descarregar as baterias NiCd dando um curto nelas (ou qualquer outra forma de "descarga rápida").

No entanto, este tipo de macete não dissolverá os cristais de Cádmio. O modo correto para descarregar baterias de NiCd e evitar o “efeito memória” é descarregá-las usando seu equipamento normalmente, até que o equipamento comece a reclamar que a bateria está baixa.

Uma outra técnica que algumas pessoas fazem para recuperar baterias NiCd é através de uma carga rápida de alta corrente (técnica conhecida como “zapping”, em inglês).

Funcionará se a bateria tiver um tipo de curto-circuito interno causado por um pequeno dendrito, que é um pequeno pedaço de material conectando internamente os dois pólos da bateria.

O que o “zapping” faz é queimar este detrito, como se ele fosse um fusível, resolvendo o problema do curto circuito. Mas o problema pode voltar, porque não apenas outros dendritos podem ser formados, mas também o material que foi vaporizado está agora dentro da bateria, que pode agir como um resistor, fazendo com que a bateria armazene menos carga do que armazenaria quando estava boa. Fazer um “zapping” na bateria se o problema não é um curto-circuito interno pode danificá-la ainda mais. Se você deixar sua bateria de NiCd descarregar completamente ela pode se danificar – ou seja, ficar completamente descarregada para sempre – e o problema aqui não será nenhum detrito dentro dela criando um curto-circuito interno.

Resumindo…

* Para evitar o “efeito memória” você deve fazer um “ciclo de recarga completo”, usando seu dispositivo até que ele fique operacionalmente e apenas então recarregá-lo.

* Baterias de NiCd aceitam por volta de 500 ciclos de recarga completos.

* Baterias de NiCd não podem ser descarregadas completamente (tensão abaixo de 1 V por pilha). Isto danifica a bateria.

* Não faça um curto-circuito nas baterias de NiCd ou execute qualquer outro truque de “descarga rápida”. Isto danifica a bateria. Este tipo de procedimento não dissolverá os cristais de Cádmio que são os responsáveis pelo problema do “efeito memória”.

* Fazer uma carga rápida de alta corrente (“zapping”) de uma bateria de NiCd pode resolver o problema de baterias “mortas”. No entanto, esta técnica não tem nada a ver com o problema de “efeito memória”.

* Quando não são usadas, as baterias de NiCd perdem 1% da sua carga por dia. Após três meses e meio a bateria estará completamente descarregada, danificando-a.

* Não exponha baterias NiCd a altas temperaturas.

* Baterias que não são baseadas em Cádmio não sofrem do “efeito memória”.

Fonte: Cpd Digital

Visualizações: 1002635